Digressão carioca

O Governo Bené, em 2002, breve na sua duração mas intenso na batalha política, ainda carece de um relato histórico.

O previsível clima de tensão em torno da gestão de Benedita da Silva atingiu níveis inimagináveis quando da trágica morte do jornalista Tim Lopes.

Uma coisa é a pessoa Tim Lopes e sua família, merecedores de toda a solidariedade e respeito. Outra coisa é entender o símbolo político que sua morte projetou naquele momento.

A TV Globo, como guia político da direita brasileira,  ganhou uma motivação moral nova. É claro que o cinismo e a grana permitem que a TV Globo comande sua luta política cotidiana sob qualquer condição. Mas é inegável que um forte impacto moral afia as garras da tropa de choque, estimula a criatividade e o espírito de luta da turma.

O Governo Bené iniciou com problemas de caixa arquitetados pelo Garotinho, recebeu chantagens da bandidagem, fardada ou não, e ainda veio a comoção social por conta da morte do Tim Lopes.  Foram meses de muita pressão.

A própria Bené e alguns dos seus auxiliares se destacaram numa jornada de dedicação integral à arte de desatar os nós e as armadilhas de um período tenso que coincidia com a clara chance de eleger Lula Presidente.

Dois amigos meus acompanharam o Ricardo Henriques nesta empreitada. O Guto Pires e o André Teixeira. Eles um dia contarão os detalhes da saga.

O Guto, em particular, também conhecido como Gato Pires, relata em tons épicos a participação  do Ricardo Henriques nas negociações no Complexo do Alemão.

Não tenho condições de fazer este relato. Apenas quero constatar, por conta da discussão sobre a criação do bolsa família,  que não foi a dedicação do Ricardo Henriques que lhe garantiu o cargo de Secretário Executivo no Ministério que a Bené viria a comandar no início de 2003.

De alguma forma a Bené recebeu o recado de que deveria convidá-lo para o Ministério. Exatamente como e por quem, eu não sei. Suponho que a idéia tenha vindo do Pallocci/Marcos Lisboa.

Assim como a candidatura do Luis Eduardo Soares a vice da Bené, a presença do Ricardo Henriques como seu secretário executivo, poderia significar uma aproximação de setores da classe média da “nação petista” com a mulher, negra e favelada, muitas vezes vista com desconfiança por estes mesmos setores.

Esta distância e desconfiança foi um grande atraso para o PT no Rio. Ao invés de bancar a Bené e tê-la como candidata prioritária aos cargos majoritários, o PT do Rio viveu buscando e testando alternativas àquela que melhor lhe dava resultados eleitorais. Melhores não apenas pela quantidade de votos como também pela composição dos mesmos, mais vigorosa nas áreas populares.

Poderia ser uma aproximação, mas não foi. Mais uma chance perdida.

Não houve, ao menos no caso do Ricardo Henriques, nenhum ato de traição ou deslealdade. Mas não houve também um comprometimento político em torno de projetar a Bené no que mais importava, na elaboração e discussão do bolsa família.

Ricardo tinha clareza da importância de unificar os programas de transferência de renda e elevá-los a um novo patamar orçamentário. Não queria fazer cócegas na miséria. Queria alterar o quadro estatístico da distribuição de renda no Brasil, tal qual apreendida pela PNAD do IBGE (basicamente a renda do trabalho).

Seria injusto insinuar que Ricardo tenha enganado a Bené. Não, não enganou.

Talvez tenha faltado aquela conversa a dois, mais franca, onde deixasse claro que provavelmente haveria orçamento para esse programa, que provavelmente ele faria a diferença na política social, que a sua gestão no ministério já desatara os maiores nós do cadastro único, que poderia ser uma bandeira para sua trajetória política.

Talvez tenha havido esta conversa. Não sei. Especulo que não, mas não sei.

Eu tentei conversar com a Bené sobre o Cadastro Único. Não era fácil.

Mais um dos “meninos do Ricardo”. Desconfianças. Não a culpo. Bené tem todas as razões para desconfiar. O preconceito já se abateu sobre ela das mais variadas formas.

Enfim, essa digressão carioca é apenas para assinalar que a falta de um projeto mais claro e pactuado no RJ sempre foi uma debilidade da esquerda local nas disputas eleitorais no Estado e na projeção de lideranças.

O mesmo problema viria a se abater sobre o próprio Ricardo Henriques. E é sobre isto que quero falar num próximo post desta seqüência sobre o bolsa família.

Publicado em Notícias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • PSDB e Temer saem derrotados no julgamento do STF. Por Joaquim de Carvalho. 28/06/2017
    O PSDB e Michel Temer, aliados na defesa deste governo, foram derrotados esta tarde pelo Supremo Tribunal Federal. O governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, do PSDB, e Rodrigo Rocha Loures, longa manus do presidente da república, queriam remover o ministro Édson Fachin da relatoria da investigação e do processo que envolvem a […] O post PSDB e T […]
    Joaquim de Carvalho
  • Sob o jugo de Temer a PF definha em praça pública. Por Carlos Fernandes 28/06/2017
    É triste quando trilhamos com tanta avidez um caminho que nos leva inevitavelmente ao crepúsculo do que um dia foi o nosso melhor momento. Dessa maneira deve estar se sentindo hoje a Polícia Federal. Uma das instituições mais valorizadas nos governos de Lula e Dilma, a PF, fortalecida e com a sua independência plenamente garantida, […] O post Sob o jugo de T […]
    Carlos Fernandes
  • A lista tríplice para PGR ou o porre do MPF 28/06/2017
    Eugênio José Guilherme de Aragão (*) Depois de uma campanha profissional, como manda o figurino Janot na corporação, o vitorioso da eleição interna para a lista […] O post A lista tríplice para PGR ou o porre do MPF apareceu primeiro em Marcelo Auler.
    Marcelo Auler
  • Daqui não saio, daqui ninguém me tira! 28/06/2017
    Arnaldo César (*) É admirável o arsenal de truques, mentiras, abusos, caradurismo e irresponsabilidades de toda a ordem que a camarilha de Temer tem utilizado para […] O post Daqui não saio, daqui ninguém me tira! apareceu primeiro em Marcelo Auler.
    Marcelo Auler
  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • A felicidade nos olhos da menina que não vê
    Aconteceram tantas coisas importantes nas últimas horas sobre as quais eu poderia comentar (ver link para o Jornal da Record News no final deste texto), mas não me sai da cabeça a imagem da felicidade brilhando nos olhos da menina que não vê.... Continue lendo
  • Temer X Janot e Lula X Moro: é hora do vale-tudo
    Chegou a hora do vale-tudo na guerra aberta entre o Judiciário e a classe política. As defesas de Temer e Lula resolveram partir para o ataque contra seus acusadores Janot e Moro, respectivamente. Rodrigo Janot denunciou Michel Temer por corrupção... Continue lendo
  • Os 8 processos contra Vaccari se baseiam em delações sem provas 29/06/2017
    ATENÇÃO - Na última quarta-feira à noite, em evento que contou com representante da cúpula do PT, o Blog apurou que o partido já acredita que João Vaccari Neto será absolvido totalmente da enxurrada de processos farsescos abertos contra si. Sua absolvição total vai desmascarar o golpe e os golpistas. E pavimentará o caminho da vitória de Lula no ano que vem. […]
    eduguim
  • A tropa de Temer que apareceu de forma “espontânea” em seu pronunciamento 28/06/2017
    Quem são as pessoas que formaram a comitiva de Temer Temer chegou a agradecer no discurso a presença “espontânea” dos parlamentares, mas a participação deles não foi voluntária; veja quem são. Via O Tempo em 28/7/2017 Veja quem faz parte da tropa de Temer 1) Baleia Rossi (PMDB/SP) 2) Goulart (PSD/SP) 3) Lelo Coimbra (PMDB/ES) […]
    bloglimpinhoecheiroso
  • A fortuna de Aécio 29/06/2017
    O senador Aécio Neves não pode reclamar da sorte. Em março, ele foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista. Sua irmã foi presa por negociar a entrega do dinheiro. Seu primo foi preso por... Blog de política Brasil. Os amigos do Presidente Lula
    noreply@blogger.com (Helena™)
  • Delação que envolve arrecadador de campanha de tucanos enfrenta resistência do MPF 29/06/2017
    Doleiro e empresário afirmou que mostraria provas de um repasse de R$ 100 milhões em propina a Paulo Vieira, o Paulo Preto, durante a gestão de José Serra como governador de São Paulo.Nas primeiras... Blog de política Brasil. Os amigos do Presidente Lula
    noreply@blogger.com (Helena™)

Parece que o URL do site WordPress foi configurado incorretamente. Verifique o URL nas configurações do widget.

%d blogueiros gostam disto: