O imperdoável II

“(…)os adoradores do mercado estavam em alta e tudo que se referisse à presença do Estado na economia estava em baixa. Vocês devem se lembrar como esse estado de espírito afetou o setor do petróleo no Brasil. Altas personalidades naqueles anos chegaram a dizer que a Petrobras era um dinossauro – mais precisamente, o último dinossauro a ser desmantelado no país. E, se não fosse a forte reação da sociedade, teriam até trocado o nome da empresa. Em vez de Petrobras, com a marca do Brasil no nome, a companhia passaria a ser a Petrobrax – sabe-se lá o que esse xis queria dizer nos planos de alguns exterminadores do futuro.

Foram tempos de pensamento subalterno. O país tinha deixado de acreditar em si mesmo. Na economia, campeava o desalento. O Brasil não conseguia crescer, sofria com altas taxas de juros, de desemprego, e juros estratosféricos, apresentava dívida externa elevadíssima e praticamente não tinha reservas internacionais. Volta e meia quebrava, sendo obrigado a pedir ao FMI ajuda, que chegava sempre acompanhada de um monte de imposições.

Além disso, não produzíamos o petróleo necessário para nosso consumo. Ferida, desestimulada e desorientada, a Petrobras vivia um momento muito difícil. Tinha dificuldades de captação externa e não contava com recursos próprios para bancar os investimentos. Nessa época, é bom lembrar – e a Dilma já falou – o preço do barril do petróleo estava em torno de US$ 19.

Hoje, nós vivemos um quadro é inteiramente diferente. Em primeiro lugar, os países e os povos descobriram na recente crise financeira internacional que, sem regulação e fiscalização do Estado, o deus-mercado é capaz de afundar o mundo num abrir e fechar de olhos. O papel do Estado, como regulador e fiscalizador, voltou, portanto, a ser muito valorizado.

A economia do Brasil vive também um novo momento. De 2003 a 2008, crescemos em média, 4,1% ao ano. Nos últimos dois anos, nosso crescimento foi superior a 5%. Nesse período, o país gerou cerca de onze milhões de empregos com carteira assinada. O desemprego caiu de 11,7% para 8%, em 2008. Hoje, as taxas de juros atuais são as menores de muitas décadas em nosso país.

Não só pagamos a dívida externa pública, como acumulamos reservas superiores a US$ 215 bilhões. E mais: reduzimos de modo consistente a miséria e as desigualdades sociais. Mais de 30 milhões de brasileiros saíram da linha da pobreza e 2 milhões ingressaram… e 20 milhões ingressaram na nova classe média, fortalecendo o mercado interno e dando vigoroso impulso à nossa economia.

O fato é que hoje temos uma economia organizada, pujante e voltada para o crescimento. Uma economia que foi testada na mais grave crise internacional desde 1929 e saiu-se muito bem na prova. Não só não quebramos, como fomos um dos últimos países a entrar na crise e estamos sendo um dos primeiros a sair dela. Antes, éramos alvo de chacotas e de imposições. Hoje, nossa voz, a voz do Brasil, é ouvida lá fora com muita atenção e com muito respeito”.

Os demo-tucanos não perdoarão a ousadia de tais palavras. Como diz o Paulo Henrique Amorim, eles adoram uma reintegração de posse exceto em relação ao pré-sal, que eles querem entregar:

BRASÍLIA – O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), fez, há pouco, um duro discurso contra a adoção do modelo de partilha na exploração do petróleo na camada do pré-sal defendido pelo governo. “Não podemos transformar nosso futuro, o futuro dos nossos filhos, netos, bisnetos, em vítima de um presente irresponsável, míope, leviano, oportunista, a pretexto de esticar a presença no poder de um partido cansado de uma aliança forçada, sem ideias próprias sobre o Brasil e os brasileiros, a não ser a de curtir as benesses das nomeações, aparelhamento e das comissões”, disse Guerra, em plenário.


Publicado em Notícias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • Lava Jato: irregularidades debaixo do tapete 18/09/2017
    Marcelo Auler Ao entender que não há elementos suficientes que provem a materialidade do crime de falsidade ideológica no Inquérito Policial (IPL) 01/2017-COAIN/COGER (autos 5003191-72.2017.404.7000) e […] O post Lava Jato: irregularidades debaixo do tapete apareceu primeiro em Marcelo Auler.
    Marcelo Auler
  • Gilberto Carvalho: “eleições sem Lula, vai ter guerra” 14/09/2017
    Marcelo Auler “Não vamos brincar com esta história de ter eleição no ano que vem sem o Lula. Não vai ser assim. Não pensem eles que […] O post Gilberto Carvalho: “eleições sem Lula, vai ter guerra” apareceu primeiro em Marcelo Auler.
    Marcelo Auler
  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • Um novo general Mourão bomba nas redes sociais
    Calma, não há sinais de tropas, tanques e fuzis nas ruas. Mais do que o ataque de um militar da ativa à democracia, o primeiro desde o fim da ditadura em 1985, assustadora foi a repercussão do discurso-bomba do general Antonio Hamilton Martins... Continue lendo
  • Advogado viajou e STF adia decisão sobre prisão de Aécio
    Rodrigo Janot já deixou a Procuradoria-Geral da República e Raquel Dodge foi empossada pelo presidente Michel Temer na manhã desta segunda-feira, mas o STF ainda não julgou os três pedidos de prisão feitos contra o senador Aécio Neves,... Continue lendo
  • Ironia poética: general diz que milicos darão golpe nos golpistas 19/09/2017
    Foi poeticamente irônica a fala do general da ativa que disse em evento reaça em Brasília que "o alto comando das Forças Armadas" planeja dar um golpe militar. Esse recado não foi para o PT, foi para Executivo, Legislativo e Judiciário, que relativizaram o voto popular ao aceitar ou promover o golpe contra Dilma. Agora, os golpistas colhem o fruto […]
    eduguim
  • Na mesa de posse de Raquel Dodge, só Cármen Lúcia não é investigada 19/09/2017
    Via Congresso em Foco em 18/9/2017 Em seu discurso de posse, no qual prometeu firmeza e coragem no combate à corrupção, a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, dividiu a mesa com três políticos suspeitos do crime que pretende enfrentar: os presidentes da República, Michel Temer (PMDB), da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), e do Senado, […]
    bloglimpinhoecheiroso
  • Essa agora: Geddel diz que sofre ameaça de estupro na Papuda e quer ir pra casa 14/09/2017
    Que Geddel, o homem das malas e caixas com R$ 51 milhões de propina em casa, iria armar alguma para sair da Papuda e ficar em casa numa prisão domiciliar refrigerada a gente já sabia. Mas a desculpa que ele arranjou foi demais:A defesa de Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) alegou risco de “estupro” na Penitenciária da Papuda, local em que o ex-ministro está recolh […]
    Antonio Mello
  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • This Year's Poverty Data Looks a Lot Different When You Break It Down by Race
    Last week's Census release of data on income, poverty, and health insurance demonstrated two things: There are policies that work for people who are struggling, and there is still a lot of work left to do -- especially for people of color in America. It is encouraging that the people who saw the worst losses in the years since the Great Recession -- spe […]
  • Can Trump Pardon Himself and His Children?
    Was it legal for Ronald Reagan to pardon George Steinbrenner? Was it legal for Richard Nixon to pardon Jimmy Hoffa? Was it legal for Bill Clinton to pardon Patty Hearst? Yes, yes and yes. Yet presidential pardon power is vast, but not limitless. As the Department of Justice makes crystal clear, the presidential pardon power does not extend to crimes that vio […]

Parece que o URL do site WordPress foi configurado incorretamente. Verifique o URL nas configurações do widget.

%d blogueiros gostam disto: