Chantagens pesadas em Brasília

Publicado no Óleo do Diabo em 03/01/2009

Ontem assisti, pela enésima vez, o Poderoso Chefão, parte II, do inestimável Francis Ford Coppola. Logo no início do filme, um senador corrupto, que participava da festa de aniversário do filho de Michael Corleone, resolve dar uma de durão e independente e diz um monte de grosserias para o temido Padrinho. Que ouve em silêncio e responde calmamente, sem criar atrito. 

Tempos depois, o senador acorda uma tarde num quarto de bordel, ao lado de uma moça morta e amarrada à cama. É uma prostituta que ele conhece e com quem estava na noite anterior. Mas ele não se lembra de ter ido àquele quarto com ela. Não se lembra de nada. Quanto mais de haver enterrado uma faca no abdômem da moça. Ele não lembra porque, em verdade não fez nada. É uma armadilha montada por Michael Corleone para deixar o senador preso a ele, visto que o advogado de Michael chega ao bordel a tempo de salvá-lo de um escândalo midiático e prisão por homicídio. 

Fico imaginando o que caras como Daniel Dantas não devem fazer de semelhante para manter o controle de setores do Executivo, do Judiciário e do Legislativo. Fico pensando também como as pessoas são ingênuas em conceber a política como uma gincaninha moral. Estão sempre lá, sob o umbral da porta, prontas para fugir para fora de casa, abandonar tudo, em prol de sua terrível decepção com o partido ou com seu candidato.

Eu nunca me envolvi com partidos políticos. Não tenho nada contra, ao contrário. Acho que até teria me feito bem, teria feito mais amigos e me divertido mais. Mas nunca me envolvi porque não me empolgo facilmente com nada e nunca acreditei que houvessem partidos maravilhosos, santos. Para mim, é uma coisa simples. Não existem partidos santos porque não existem homens santos. No máximo, existem bons hipócritas. 

O que falta, na minha opinião, é um tratamento cultural mais profundo de nossa realidade política. Por parte de cineastas, escritores, dramaturgos. Nos EUA, são feitos milhares de filmes por ano sobre seus senadores, parlamentares, presidentes, empresários, juízes, jornalistas, mostrando as mil e uma facetas com que a corrupção, a intriga, a chantagem, se revelam. Talvez aí as pessoas pudessem compreender, de maneira mais madura, como é podre o mundo da política, mas que a podridão também vem (quiçá em maior quantidade) de fora das instituições, dos lobbies de empreiteiros, de banqueiros mafiosos, de jornalistas espertos demais.

Em todas as situações, todavia, o papel da mídia é determinante. A maneira como os casos de corrupção serão tratados e discutidos na mídia continua sendo fundamental no processo de criação e hierarquização dos valores. E a mídia brasileira, decididamente, não é um instituição isenta de interesses. Fernando Henrique Cardoso vendeu a Vale do Rio Doce por menos de 1 bilhão de dólares, e com dinheiro emprestado pelo BNDES, e hoje sabemos que a Vale fatura mais de 30 bilhões de dólares por ano. No entanto, a indignação de jornalistas como Cora Ronai explode quando o ministro do Esporte paga uma tapioca de R$ 8 em Brasília com seu cartão corporativo. 

Esse será um ano interessante. A blogosfera vive um grande momento, e temos um público gigantesco a conquistar. Teremos muito trabalho. Ainda estou meio frio. Vamos aquecendo.

ESCRITO POR MIGUEL DO ROSÁRIO

Publicado em Política
Um comentário em “Chantagens pesadas em Brasília
  1. Idel Profeta Ribeiro disse:

    Tenho certeza absoluta que você é mais que um bom hipocrita. Acho que também ninguém tá aqui fazendo estágio prá santo. Agora… se o Joaozinho tá brigando com o Joãozão, e … se eu cruzo os braços eu tô ajudando a quem?? Pense nisto, que é melhor agir pelo amor. como acredito na sua inteligencia sei que ainda vou ouvir de você, outra mensagem. Um forte abraço. Idel Profeta Ribeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • Juiz manda exumar; Polícia Federal retarda – procrastina? 26/09/2017
    Marcelo Auler Em 10 de julho, o juiz Edilberto Barbosa Clementino, da 5ª Vara Federal de Foz de Iguaçu (PR), contrariando a posição da Polícia Federal […] O post Juiz manda exumar; Polícia Federal retarda – procrastina? apareceu primeiro em Marcelo Auler.
    Marcelo Auler
  • Ordem no cabaré 23/09/2017
    Arnaldo César (*) Gostem ou desgostem, o recado está dado: Ou, o executivo, o legislativo e o judiciário tomam tenência na vida e acabam com essa […] O post Ordem no cabaré apareceu primeiro em Marcelo Auler.
    Marcelo Auler
  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • STF julga processos de Aécio e Maluf: qual decidirá antes?
    Esta notícia não está nas manchetes, mas um fato inédito pode acontecer em Brasília nesta terça-feira: o julgamento de um tucano na Lava Jato. Após três meses de adiamentos, está na pauta da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal o... Continue lendo
  • Nova denúncia contra Temer: vale a pena ver tudo de novo?
    É como reprise de novela: você já conhece o elenco, a trama e o final. Os personagens são os mesmos. Vale a pena ver tudo de novo? A partir desta segunda-feira, a Câmara deixa tudo de lado para julgar a nova denúncia apresentada pela PGR contra o... Continue lendo
  • Ao mostrar recibos, Lula puxa o tapete de Moro e MP 26/09/2017
    Glaucos da Costamarques tem quase 80 anos. Deu pena vê-lo titubear diante da alternativa de mentir ou passar o que lhe resta de vida na cadeia. Optou por mentir dizendo que Lula não pagou aluguel. Essa era a aposta de Moro e da mídia antipetista. Porém, Lula desmontou o processo que o imperador da República de Curitiba conduz contra si ao mostrar recibos que […]
    eduguim
  • Lava-Jato: Verba pública para rever família, encontrar artistas… 26/09/2017
    Marcelo Auler em 20/9/2017 Para atender à força-tarefa da Lava-Jato de Curitiba nos seus anunciados objetivos de “combater a corrupção” e os gastos indevidos de recursos públicos, o Ministério Público Federal (MPF) se envolveu em um labirinto burocrático a ponto de pagar diária para procurador regional voltar para a casa da mulher e do filho. […] […]
    bloglimpinhoecheiroso
  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Parece que o URL do site WordPress foi configurado incorretamente. Verifique o URL nas configurações do widget.

%d blogueiros gostam disto: