Bolsa Família na Alemanha

Há muitos equívocos, preconceitos e/ou falta de informação nas análises em relação ao Programa Bolsa- Família. Para grande parte do senso comum, das elites e da grande mídia brasileira, o Bolsa-Família é visto como responsável por assombrar o nosso país, causando acomodação e falta de independência financeira. Os equívocos de muitos analistas brasileiros, exigindo independência financeira dos pobres, se tornam mais evidentes quando comparamos o Bolsa-Família com programas similares, existentes nos países mais desenvolvidos do mundo. Na Alemanha, foi introduzido o programa de auxílio social (Sozialhilfe) em 1961, que em 2005 mudou de nomenclatura para Arbeitslosengeld II. No caso alemão, uma pessoa desempregada e sem aportes de renda receberá 347 euros caso não possa sobreviver sozinha e/ou receba ajuda dos familiares. Se cônjuges viverem em um domicílio sem rendimentos, o valor que a segunda pessoa receberá acrescido é de mais 312 euros. Essas despesas são previstas para auxiliar na garantia do direito à alimentação e ao vestuário. Além desse benefício, o Estado também custeará as despesas com moradia, providenciando uma moradia popular e/ou pagando as despesas do aluguel diretamente ao locador.

O auxílio-moradia é determinado pelo número de moradores do domicilio. Em se tratando de um morador, o tamanho mínimo da moradia tem de ser superior a 45m². No caso de cônjuges, o tamanho mínimo será de 60m². Para cada filho será acrescido ao tamanho da moradia mais um quarto. Esse benefício contribui fundamentalmente para que não existam favelas no país. Aliado a esses benefícios, está o pagamento de um seguro de saúde em tal situação, uma vez que na Alemanha não existe um sistema público de saúde como no Brasil ou Inglaterra. O seguro de saúde custará em torno de 150 euros por pessoa. No inverno, é pago ainda um auxílio-calefação para esses beneficiários. Os benefícios prevalecem enquanto persistir a situação de carência material, sendo que cerca de 1/3 da população alemã recebe esse tipo de benefícios em algum momento da vida. Nota-se que cada pessoa recebe cerca de 750 euros (em torno de R$ 2 mil) por mês, estando desempregada e/ou não tendo condições de manter a própria subsistência. Um casal nessa situação receberá cerca de 1.370. Além desses benefícios, as crianças recebem separadamente, até atingi 14 anos, um benefício de 208 euros mensais, válido universalmente para todas as crianças do país, sejam elas ricas ou pobres. Aos adolescentes, a partir dos 14 anos até os 25 anos e que moram com os pais, o benefício passa para 278 euros mensais.
No Brasil, o Programa Bolsa-Família registrou 11 milhões de famílias atendidas em 2008, com 1,9 milhão de adolescentes, de 16 e 17 anos de idade, incluídos no programa coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), sendo R$ 30 para cada um. O país está seguindo os passos que os países desenvolvidos seguiram no combate à fome e à miséria. A diferença em relação ao Brasil é que o programa de auxílio social da Alemanha e nos demais países europeus é concebido como um direito, ou seja, acessível a todas as pessoas e famílias que dele necessitem. Trata-se de transferências monetárias coberta pelo Estado, cujo tempo de duração é ilimitado. Além disso, seguindo os exemplos acima, fica evidente que o valor monetário transferido pelo Programa Bolsa-Família deveria ser consideravelmente aumentado, além de ser garantido a todos que dele necessitem. Ademais, urge introduzirmos políticas de auxilio moradia aos beneficiários desse programa. Assim, estaríamos dando passos decisivos no combate à fome e miséria.”

Clóvis Roberto Zimmermann – Doutor em sociologia pela Universidade de Heidelberg (Alemanha), relator nacional para o Direito à Alimentação e Terra Rural.

Enviado pelo correspondente de Minas Gerais – André Teixeira

Publicado em Renda de Cidadania
7 comentários em “Bolsa Família na Alemanha
  1. Ana disse:

    Muito interessante o artigo por que coloca o Programa Bolsa-Família em perspectiva (seja de comparação seja de futuro). Á informação sobre a Alemanha poderia ser agregada a da França, Belgica, Luxemburgo, Portugal e muitas outras. A tivibrasil cumpre um papel relevante ao estimular o debate com a divulgação do artigo. Cumprimentos ao autor e ao responsável pelo site

  2. Luciano disse:

    Interessante, mas a comparação esquece de expor fatos que ocorrerão na Alemanha que proporcionaram essa situação. A reporma agrária é uma desses que não poderia ficar de fora.

  3. Luis disse:

    Senhor Luciano,
    Por gentileza, liste os fatos que ocorreram na Alemanha, além da Reforma Agraria, que levaram à necessidade de implantaçao do programa de auxílio social e teça comentario referentemente a cada fato citado.

  4. […] lá tem uma versão do bolsa família desde 1961, e que transfere no mínimo 347 euros – https://tivibrasil.wordpress.com/2009/01/06/bolsa-familia-na-alemanha/ – por isso a Alemanha é hoje um país sem pobreza. Esta entrada foi publicada em Notícias […]

  5. […] Alemanha, lá tem uma versão do bolsa família desde 1961, e que transfere no mínimo 347 euros -https://tivibrasil.wordpress.com/2009/01/06/bolsa-familia-na-alemanha/ – por isso a Alemanha é hoje um país sem pobreza […]

  6. […] Alemanha, lá tem uma versão do bolsa família desde 1961, e que transfere no mínimo 347 euros -https://tivibrasil.wordpress.com/2009/01/06/bolsa-familia-na-alemanha/ – por isso a Alemanha é hoje um país sem […]

  7. Cláudio César Gomes de Macedo disse:

    Por favor, esse recurso que é disponível na Alemanha é por tempo ILIMITADO??!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • "Não" vence disputa na Grécia
    Categoria:  Internacional   Jornal GGN - A maior parte da população grega decidiu pelo "não" durante a votação que o governo realizou neste domingo (05) para escolher se aderiam ou não às exigências dos credores do país em troca de ajuda da União Europeia para o resgate da dívida que supera mais de 175% de seu Produto Interno Bruto (PIB).   Enquant […]
  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • 33909 - O golpe em marcha: mirem-se no exemplo das lideranças de Atenas 05/07/2015
    Saul Leblon:Seja qual for o desfecho do plebiscito deste domingo, é o método o que mais importa à encruzilhada do Brasil nos dias que correm. O nó górdio que impede o Brasil de extrair as devidas lições dessa experiência é a rala contrapartida de organização coletiva para levar a cabo a luta por uma outra agenda de desenvolvimento. […]
  • 33910 - Economistas influentes tomam partido em referendo grego 05/07/2015
    Pablo Pérez - El Pais:Os argumentos de importantes acadêmicos, três deles vencedores do Prêmio Nobel, a favor do sim e do não. A crítica situação vivida na Grécia e a realização do referendo levou 247 professores de economia, de diversas universidades do país, a se juntarem para publicar uma declaração conjunta, na qual os assinantes pedem à população grega […]
  • Agressões a Maju e a Dilma têm natureza idêntica 04/07/2015
    O que estimula esse tipo de comportamento que atingiu, igualmente, duas pessoas públicas do sexo feminino é a seletividade. Na ditadura midiática que se abateu sobre o Brasil, ataques sexistas, misóginos, fascistas, racistas, homofóbicos, entre outros, só são punidos quando a mídia cai em cima, e essa só cai em cima se a vítima dispuser de sua simpatia. […]
    eduguim
  • Redução da maioridade penal: Projétil de lei da bancada da bala 05/07/2015
    Via Fitaria Filmes em 1º/7/2015 Poema-bomba em revide aos recentes retrocessos “A bancada da bala e seus projéteis de leis: tornar-se adulto aos dezesseis.” Poesia e interpretação: Luiza Romão Direção e edição: Pedro Fávero Leia também: ● Depoimentos de personalidades e entidades contra a redução da maioridade penal ● Redução da maioridade penal: Os próximos […]
    bloglimpinhoecheiroso
  • UM SEGUNDO A MAIS. O QUE VOCÊ VAI FAZER COM ELE? 30/06/2015
    Por um segundo, você perdeu o elevador, o metrô, o voo, o táxi. Por um segundo, você não viu aquela cena, você perdeu o fim do poema, o fio da meada, o riso da piada. Bastou um segundo de seus olhos de encontro aos dela para você reconhecer ali a sua amada. Hoje, para ajuste do tempo atômico ao ritmo do universo, vamos todos ganhar um segundo a mais. Nosso ú […]
    Antônio Mello
  • A antieuropa. “A Europa sempre soube que a dívida da Grécia era impagável” 05/07/2015
    “A Europa não fala grego, que fala gringo”. Este verso de J. Bergamín encaixa hoje como luva na mão. Gringo é a palavra que serviu para designar o pior dos Estados Unidos, quando se corrompeu o original e esperançoso “sonho americano” convertendo-se em sonho imperialista. A reportagem é de José González Leia mais...
  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: