A semântica da discórdia na resolução 242 da ONU

A resolução 242 do Conselho de Segurança da ONU foi proclamada em novembro de 1967.

Foi a resposta formal do direito internacional à ocupação por Israel da Faixa de Gaza, da Cisjordânia, do Sinai,  Golan e Jerusalem Oridental.

A resolução declara “the inadmissibility of the acquisition of territory by war” (a inadmissibilidade da aquisição de territórios pela guerra). E clama pela  “withdrawal of Israeli armed forces from territories occupied in the recent conflict” (retirada das Forças Armadas de Israel dos territórios ocupados no recente conflito).

Israelenses dizem que não são obrigados a sair de todos territórios ocupados porque a palavra “todos” não está presente na resolução. 

E a falta do artigo definido “the” antes do substantivo “territories” daria a Israel o direito de decidir em quais pedaços de territórios ficariam e de quais partiriam.

Por esta peculiar interpretação, em boa parte compartilhada pelos americanos, Israel diz cumprir a resolução 242 ao desistir do Monte Sinai e manter Jerusalem Oriental e boa parte da Cisjordânia para seus colonos.

Em português, a tradução seria: “retirada das Forças Armadas de Israel de territórios ocupados no recente conflito” !!!

Golan ainda segue em negociações com a Síria.

A Faixa de Gaza, bem a Faixa de Gaza, com seus 1,5 milhões de habitantes está sob cerco – um verdadeiro gueto – porque votaram em eleições livres e diretas nos caras errados.

A placa na padaria aqui da esquina diz que “Cães não são permitidos”. Entendo que são todos os cães.

Às vezes o portuga deixa entrar uma madame com seu “pet” de colo.

Não é problema de semântica. Papo furado.

Para o portuga é o dinheiro.

Para o mundo ocidental é o Petróleo.

A semântica serve aos donos.

Publicado em Política
2 comentários em “A semântica da discórdia na resolução 242 da ONU
  1. Anônimo disse:

    Isso não é interpretação de Israel ou dos EUA, é a intenção original dos autores da resolução, e a forma como ela foi apresentada para votação. Leia o artigo escrito pelos 4 diplomatas autores do texto: http://www.foreignaffairs.com/articles/35087/john-c-campbell/un-security-council-resolution-242-a-case-study-in-diplomatic-am

  2. Pedro Werneck disse:

    Isso não é interpretação de Israel ou dos EUA, é a intenção original dos autores da resolução, e a forma como ela foi apresentada para votação. Leia o artigo escrito pelos 4 diplomatas autores do texto: http://www.foreignaffairs.com/articles/35087/john-c-campbell/un-security-council-resolution-242-a-case-study-in-diplomatic-am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • Lava Jato: irregularidades debaixo do tapete 18/09/2017
    Marcelo Auler Ao entender que não há elementos suficientes que provem a materialidade do crime de falsidade ideológica no Inquérito Policial (IPL) 01/2017-COAIN/COGER (autos 5003191-72.2017.404.7000) e […] O post Lava Jato: irregularidades debaixo do tapete apareceu primeiro em Marcelo Auler.
    Marcelo Auler
  • Gilberto Carvalho: “eleições sem Lula, vai ter guerra” 14/09/2017
    Marcelo Auler “Não vamos brincar com esta história de ter eleição no ano que vem sem o Lula. Não vai ser assim. Não pensem eles que […] O post Gilberto Carvalho: “eleições sem Lula, vai ter guerra” apareceu primeiro em Marcelo Auler.
    Marcelo Auler
  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • Um novo general Mourão bomba nas redes sociais
    Calma, não há sinais de tropas, tanques e fuzis nas ruas. Mais do que o ataque de um militar da ativa à democracia, o primeiro desde o fim da ditadura em 1985, assustadora foi a repercussão do discurso-bomba do general Antonio Hamilton Martins... Continue lendo
  • Advogado viajou e STF adia decisão sobre prisão de Aécio
    Rodrigo Janot já deixou a Procuradoria-Geral da República e Raquel Dodge foi empossada pelo presidente Michel Temer na manhã desta segunda-feira, mas o STF ainda não julgou os três pedidos de prisão feitos contra o senador Aécio Neves,... Continue lendo
  • Ironia poética: general diz que milicos darão golpe nos golpistas 19/09/2017
    Foi poeticamente irônica a fala do general da ativa que disse em evento reaça em Brasília que "o alto comando das Forças Armadas" planeja dar um golpe militar. Esse recado não foi para o PT, foi para Executivo, Legislativo e Judiciário, que relativizaram o voto popular ao aceitar ou promover o golpe contra Dilma. Agora, os golpistas colhem o fruto […]
    eduguim
  • Na mesa de posse de Raquel Dodge, só Cármen Lúcia não é investigada 19/09/2017
    Via Congresso em Foco em 18/9/2017 Em seu discurso de posse, no qual prometeu firmeza e coragem no combate à corrupção, a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, dividiu a mesa com três políticos suspeitos do crime que pretende enfrentar: os presidentes da República, Michel Temer (PMDB), da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), e do Senado, […]
    bloglimpinhoecheiroso
  • Essa agora: Geddel diz que sofre ameaça de estupro na Papuda e quer ir pra casa 14/09/2017
    Que Geddel, o homem das malas e caixas com R$ 51 milhões de propina em casa, iria armar alguma para sair da Papuda e ficar em casa numa prisão domiciliar refrigerada a gente já sabia. Mas a desculpa que ele arranjou foi demais:A defesa de Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) alegou risco de “estupro” na Penitenciária da Papuda, local em que o ex-ministro está recolh […]
    Antonio Mello
  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • This Year's Poverty Data Looks a Lot Different When You Break It Down by Race
    Last week's Census release of data on income, poverty, and health insurance demonstrated two things: There are policies that work for people who are struggling, and there is still a lot of work left to do -- especially for people of color in America. It is encouraging that the people who saw the worst losses in the years since the Great Recession -- spe […]
  • Can Trump Pardon Himself and His Children?
    Was it legal for Ronald Reagan to pardon George Steinbrenner? Was it legal for Richard Nixon to pardon Jimmy Hoffa? Was it legal for Bill Clinton to pardon Patty Hearst? Yes, yes and yes. Yet presidential pardon power is vast, but not limitless. As the Department of Justice makes crystal clear, the presidential pardon power does not extend to crimes that vio […]

Parece que o URL do site WordPress foi configurado incorretamente. Verifique o URL nas configurações do widget.

%d blogueiros gostam disto: